Posts com Tag ‘Sweden’

fire

01. Exit! Part One 19:29
02. Exit! Part Two 24:54

CompreDownload / Facebook

Por Al Schenkel

Gravado ao vivo em janeiro de 2012 na sede da Fylkingen – o lendário centro de música vanguardista de Stockholm – Exit! traz uma performance visceral de Mats Gustafsson (The Thing), Johan Berthling (Tape) e Andreas Werliin (Wildbirds & Peacedrums) ao lado de 28 músicos suecos de jazz, improv. e avant-garde rock.

Com vocais de Mariam WallentinSofia Jernberg sob letras de Arnold de Boer of Dutch (da holandesa, The Ex),  o álbum, dividido duas metades, “Exit! Part One” e “Exit! Part Two”, o festim experimental gerido pela orquestra transcende a sobriedade da música contemporânea e em sua angular simbiose de free-jazz, free-improvisation e Krautrock entrega à arte o seu mais louvável enlevo: a ruptura ao lugar comum, dando-lhe em troca fluxos caóticos de poesia sonora, caos e atemporalidades.

1. A Man Who Might Have Been Screaming 18:09
2. And the Stories Will Flood Your Satisfaction (With Terror) 23:23
3. He Wants To Sleep In a Dream (He Keeps In His Hand) 19:11
4. I Am Sucking for a Bruise 7:54

Download

Por Al Schenkel

Seria necessário outra vida além desta para desvendar e conhecer uma boa parte do universo das bandas que passeiam sua sonoridade por entre o avant-garde, o free jazz e o noise. Não é um estilo fácil e muito menos bandas como o Fire! estão sujeitas a grande aceitação  de público devido ao altíssimo grau de experimentalismo e improvisação presentes em seus trabalhos.

In the Mouth a Hand é o terceiro registro do trio sueco formado por Mats Gustafsson, Johan Berthling e Andreas Werliin e conta também com a participação do guitarrista australiano Oren Ambarchi, compositor e multi-instrumentista que transcende as abordagens convencionais instrumentais, o que vem a tornar a obra do Fire! um tanto mais torta, assimétrica e instigante.

Vale lembrar que no registro anterior a banda trocou experiências sonoras memoráveis com o gênio Jim O’ Rourke no álbum intitulado Unreleased?, lançado no ano passado e que você pode baixar aqui.

01. Jubilee 2:12
02. Glory To The World 2:52
03. You Can’t Steal A Gift 2:34
04. How Did We Forget? 3:12
05. Inside The Golden Egg 1:46
06. To Give Love 2:28
07. Inner Island 4:40
08. Do Not Despair 3:20
09. Somebody’s Baby 2:29
10. The Sun Is An Old Friend 1:02
11. Happiness Won Me Over 3:44
12. From The Valley To The Stars 2:24
13. You Belong To The Sky Now 1:38
14. Into The Sunshine 2:58
15. Someday I’ll Understand (Love Will Be My Mirror) 3:44
16. Your Name Is Neverending 2:09

Download: http://thepiratebay.se/torrent/4011851

Por Gontijo Mendes

El Perro Del Mar nada mais é que o alter ego da belíssima Sarah Assbring, cantora/compositora e multi-instrumentista que desde 2004 vem lançando ao mundo seus trabalhos. Neste segundo álbum, Assbring conta com membros da Gothenburg Symphony Orchestra e da Gothenburg Symphonic Choir. From The Valley To The Stars, terceiro disco de estúdio é composto de um som minimalista com pitadas de “church organ” e agradáveis flautas totalizando 16 lindas faixas desse coletivo Sueco, (sim eles são Suecos). How Did We Forget, é a faixa favorita do disco.

1.Head Honcho pt.1 00:48
2.Strap Me Down 05:12
3.A-Bow 12:29
4.MSSG 03:45
5.Head Honcho pt.2 06:00

Download

2012 tem sido um grande ano para a música. Claro que você irá concordar se caso partilhe da opinião de que não precisamos de uma máquina caça-niqueis como salvação do rock eleita pela NME ou Lúcio Ribeiro periodicamente e de que a música é feita apenas de grandes bandas, bons shows e álbuns atemporais.

Seguindo esta linha de raciocínio e longe de qualquer holofote ou procedência que os torne aclamados pelo grande público e mídia, o quarteto sueco de Stockolmo, The Janitors pisa cada vez mais firme na lisergia sem ligar para grandes tendências e nos brinda com o ótimo Head Honcho, lançado oficialmente em 12 de agosto deste ano via Supernova Records.

Head Honcho, segue como sucessor do ótimo Worker Drone Queen EP, lançado em fevereiro deste ano e transborda  psicodelia através de drones, repetições e reverberações em doses altíssimas, tornando o álbum uma bela trilha sonora para suas aventuras psicotrópicas, ou, para um exercício de audição mais saudável caso você preferir. Arregace o volume de seu áudio player e sinta o transe quase xamânico que se dá logo ao início da soundscape spectral “Head Honcho pt. 1” seguida pelos estilhaços sônicos de “Strap Me Down”, a favorita “A-Bow”, “MSSG” e o final mágico e instrumental da sequencial “Head Honcho pt. 2”.  Um disco para esquecer no repeat.